quarta-feira, 28 de junho de 2017

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA.

"Há alguns anos, cresce o número de professores e alunos que se estão interessando pela Educação a Distância, com suas potencialidades, possibilidades e limitações, para o exercício da docência e da aprendizagem. Assim, a partir da indagação inicial - Como os sentimentos de alunos de um curso de especialização a distância podem ser evidenciados na virtualidade e como podem ser compreendidos/explicados? - objetivou-se compreender/explicar como se expressam os sentimentos que permeiam essa modalidade de educação, visando à construção de pontos de referência para a reflexão da vivência discente em Educação a Distância e, como decorrência, propiciar a reflexão sobre a docência imersa e emersa das novas tecnologias. No cenário escolhido, as mensagens postadas nos fóruns, assim como imagens publicadas no ambiente de interação, por doze participantes que atuam em áreas diversas de conhecimento, constituíram o campo de análise desta pesquisa qualitativa inserida em uma abordagem compreensiva/explicativa apoiada no Paradigma da Complexidade, proposto por Edgar Morin. A pesquisa confirmou a tese Os sentimentos expressam-se, na virtualidade, mediados por registros gráficos e textuais possíveis de serem compreendidos/explicados através da tradução/construção de suas evidências explicitadas pela serendipidade e o estudo permitiu reflexões sobre a importância da sensibilidade e competência do professor em lidar com essas evidências como via de melhor conhecer o aluno e de tornar a Educação a Distância uma Educação sem Distância".

Fonte: http://biblioteca.phorteeducacional.com.br/items/2219. Acesso: 28/06/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qualquer sugestão ou solicitação a respeito dos temas propostos, favor enviá-los. Grata!

A “cultura da litigiosidade” LOURI BARBIERO – Desembargador   "No Brasil, bate-se na porta do Judiciário para qua...